skip to Main Content
(71) 3013-1312 contato@josiasgomes.com.br
Rui Costa Dá Entrevista Memorável!

Rui Costa dá entrevista memorável!

Só hoje pude assistir a essa extraordinária entrevista de Rui Costa a TV 247.

Quem ainda não assistiu, faça logo. É imperdível.

Pela profundidade e variedade de temas debatidos, a entrevista que o governador Rui Costa concedeu à TV247 possui imenso valor político e histórico para o Brasil.

Desde o presidente Lula, não surgia no Brasil alguém tão identificado com a vida do povo.

E com uma imensa coragem para realizar justiça social.

Filho de pai metalúrgico e mãe doceira, Rui lembrou com orgulho da sua origem humilde e retratou, de forma emocionante, como os pais confiaram na sua educação para a formação do grande homem que o governador se tornou.

A entrevista durou cerca de 1h30, mas como Einstein provou, o tempo é relativo. O carisma de Rui, a sua competência e o domínio dos temas, acrescidos da maneira franca como dialogou com o público da TV online, fizeram com que uma hora e meia passasse como se fossem 20 minutos.

Vamos fazer um resumo dos principais pontos abordados por Rui.

Governo Bolsonaro e a Reforma da Previdência

Na visão do governador, o presidente e os seus ministros estão contaminados pelo clima de ódio das eleições, o que dificulta as relações com os governadores.

No caso do Nordeste, existe um agravante porque nesta sagrada região as forças de esquerda se impuseram frente à avalanche bolsonarista.

O custo político é que Bolsonaro somente foi encontrar os governadores praticamente seis meses depois de sua posse.

No encontro, os governadores do Nordeste propuseram que houvesse uma mudança do Marco Geral dos Estados nordestinos para que os governadores pudessem acessar 30% dos Fundos do Nordeste para obras de infraestrutura.

Pela lógica limitada e chantagista de Bolsonaro, ele condiciona os recursos, mesmo das pautas essenciais, à aprovação da Deformação da Previdência.

Como Rui sabiamente colocou, parece que o governo federal vive em função de uma agenda única, sem projeto de país, afundado em crises sem fim.

Isto impacta e compromete diretamente o desenvolvimento dos Estados e municípios, além da própria União.

Rui foi claro em relação à pauta da Reforma da Previdência. Não só ele como todos os governadores do Nordeste, que acertadamente trabalham em bloco, colocaram quatro pontos que consideram intransponíveis:

1 – Retirar da Constituição o Normativo da Previdência. Este ponto elementar precisa de planejamento e não pode ser alterado ao bel-prazer de cada governo a cada quatro anos. Este item é muito sério e precisa ser barrado!

2 – Capitalização da Previdência. Rui considerou este ponto como inadmissível. O seu exemplo foi bem didático: qual país adotou este modelo? Hoje um trabalhador que ganha R$ 7.000,00 se for aposentado por invalidez pelo regime da previdência receberá o teto de R$ 5.800,00. No regime de capitalização, o ‘segurado’ receberá os proventos da sua ‘poupança’ pelo tempo de contribuição. Vamos supor que sejam 10 anos: o trabalhador consumirá a poupança referente a esse tempo de trabalho e depois que a “poupança” acabar terá que viver com um “auxílio esmola” de R$ 600,00. Isso é criminoso.

Não existe precedente nesta proposta em nenhum país desenvolvido do mundo. Inclusive, temos o Chile como exemplo de fracasso das capitalizações.

3 – Aposentadoria Rural, que aumenta o tempo de contribuição dos trabalhadores do campo. Convenhamos, um verdadeiro absurdo. Só quem não conhece a realidade do campo seria capaz de propor tamanho desumanidade.

4 – BPC, que é o benefício de prestação continuada para pessoas fragilizadas socialmente. Muitas vezes, este benefício sustenta uma família. Querem reduzí-lo a R$ 400,00.
Simplesmente, inadmissível.

Com esses itens em pauta não existe discussão, porque não se trataria de uma reforma, seria o fim da Previdência Social. Retirados estes pontos inaceitáveis, abre-se diálogo.

A Reforma da Previdência em qualquer país sério do mundo é uma questão humanitária e essencial. Um direito assegurado na Constituição.

Rui reforçou que se trata da existência humana, depois de uma vida de jornada de trabalho. As pessoas precisam programar a sua velhice. É preciso pensar no bem-estar social. Esse tema necessita ser discutido com muita seriedade e transparência, buscando o equilíbrio das finanças públicas, sem comprometer a vida do cidadão.

Decreto da Morte

Rui se posicionou totalmente contra essa política de extermínio no Brasil. Como humanista, pai de família e cidadão responsável, o governador jamais estimularia os altos índices de homicídios do país que mais mata inocentes, vítimas da violência deliberada.

Ele colocou que é a favor da vida e que não podemos fomentar a ‘cultura da violência’ com decretos da morte.

A vítima pode ser alguém da sua família. As prioridades do país devem ser educação, saúde e o direito a vida.

Privatização da universidade pública

“Eu sou absolutamente contra qualquer privatização da universidade pública. As melhores universidades do mundo, que produzem conhecimento, patente e pesquisa de ponta, são oriundas do ensino público”.

Rui defendeu o debate constante desse tema. E reconheceu que, devido aos ataques de Bozo à educação, está pauta não é prioridade.

Mostrou visão e deu exemplos de que nos países de primeiro mundo onde existem universidades de excelência as classes abastadas contribuem com o ensino superior, através da taxação das grandes fortunas ou com leis que incentivem a doação de recursos por parte das empresas privadas para as universidades.

Impostos

Rui elucidou a injusta carga tributária brasileira, onde as classes médias e baixas proporcionalmente pagam muito mais impostos do que a classe alta, que deve e pode pagar uma contribuição à altura dos seus rendimentos.

Realmente, o Brasil necessita de uma reforma tributária urgente.

Rui + PT

Rui colocou que a sua história e a do PT sempre foram pautadas na justiça social. O objetivo é ser inclusivo, democrático e sempre estarmos dispostos a dialogar. Seja em temas como a educação, os direitos dos LGBTs ou a problemática das drogas.

“Foi o diálogo que proporcionou o desenvolvimento da humanidade”.

Rui está correto, só foge de diálogo quem não tem conteúdo e não está comprometido com a democracia, a sociedade e a verdade.

O Brasil precisa resgatar o respeito à pluralidade de ideias e acabar com o clima de ódio que só destrói e gera superficialidades débeis.

Greve nas universidades estaduais

O governador afirmou que tem orgulho de executar 1,4 bilhão de reais em educação de ensino superior. Atualmente a Bahia se encontra na honrosa posição entre os três Estados que mais investem nas universidades.

Você sabe qual é a média do salário de professor universitário baiano?

A média é de R$ 14.000 mil, sendo que o professor titular recebe em média R$ 17.000,00 e o pleno R$ 20.000,00.

Não que os professores não mereçam mais. Contudo, diante da realidade econômica que vivemos, o Estado não comporta mais investimentos em salários e vamos provar isto no texto com dados atualizados pelo próprio governador.

Quando o assunto é rede básica, estamos entre os quatro maiores salários do Brasil: 52% dos professores recebem salários acima de R$ 8.000 mil e 94% recebem remuneração acima de R$ 5.000 mil.

Todo este esforço é feito, mesmo sendo a Bahia a vigésima renda per capita do país.

Como este governador não é defensor da educação e dos professores?

A Lei de Responsabilidade Fiscal exige que o gestor gaste com a folha salarial até 46,17% da receita corrente liquida do Estado. Hoje estamos com um investimento de 46,13%.

Esta é a matemática, límpida como a água. Será que o governador está sendo injusto com os professores?!

Qualquer loucura irresponsável no sentido de agradar a todos pode comprometer o governador até criminalmente. Lei é para ser cumprida.

Finalizando o tema da educação, Rui nos confidenciou o orgulho que foi visitar 360 escolas estaduais nessa imensa Bahia. Demonstrou um afeto especial às 80 escolas culturais que existem na Bahia e que em breve serão 160. Num futuro rápido esperamos que todas as escolas púbicas da Bahia sejam culturais.

Estas escolas oferecem espaços culturais como cinema, teatro, dança, música e poesia.

Todos os anos são realizados eventos na Fonte Nova para celebrar o êxito do projeto, com stands com as principais produções científicas do Estado, além da apresentação de teatro, lançamento de livros, recitais de poesia, cinema e muita música.

Rui também falou, de forma empolgada, do retorno à pratica esportiva nas escolas. Com certeza, educação, cultura e esporte andam de mãos dadas rumo a um futuro melhor para os alunos.

Considerações finais

O governador se mostrou preocupado com a grave crise econômica no Brasil. Estamos há cinco anos estagnados economicamente, o que compromete o desenvolvimento do país, a geração de emprego, a renda e até a autoestima e a dignidade do nosso povo.

E o quadro se torna ainda mais traumático com o atual presidente à frente do país, que está atolado com problemas de todas as ordens, desde corrupção generalizada no partido e na família, até a sua incapacidade de ter uma plataforma de governo.

Realmente, o Brasil de hoje respira por aparelhos.

Vitória na reeleição

Rui agradeceu ao povo baiano pela sua reeleição, que foi a maior vitória eleitoral da história da Bahia. Confessou que tanta aprovação foi sinônimo de muito trabalho e estar perto do povo, ouvindo e buscando solucionar as suas demandas.

Foram mais de 600 viagens a trabalho somente no interior do Estado. O modo #Correria de Rui foi ativado desde os tempos de infância e nunca parou.

O governador citou a importante viagem oficial à China, onde conseguiu exitosas parcerias comerciais para a Bahia. A exemplo dos R$ 7 bilhões que serão investidos em usina siderúrgica, ferrovia e geração de energia.

#LulaLivre

Como não poderia ser diferente, denunciou a Injustiça aplicada de forma orquestrada contra o presidente Lula. E defendeu a liberdade do maior líder que este país já teve.

Rui finalizou a entrevista fazendo um apelo às pessoas humanitárias para não nos deixarmos contaminar pelo espirito do ódio. Precisamos saber conviver com as diferenças e resgatarmos um ambiente democrático.

O fato é que o Brasil precisa se unir. A Bahia segue unida e forte por contar com a liderança de um governador que trabalha 19 horas por dia para fazer deste Estado um farol para todo Brasil.

Parabéns, Rui. A cada dia tenho a convicção de que o Brasil ganhou um expoente na esquerda nacional. Os frutos do seu trabalho são inspiradores. Continue na #Correria, a História reserva a você um lugar ainda mais glorioso para fazer jus à sua entrega por este povo que tanto ama.

Josias Gomes – Deputado Federal (licenciado) do PT/Bahia e atualmente titular da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR).

Se concorda, compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top